Residência Guerreiras de Santa Madalena -Valéria Pinheiro

-
ANO DE 
CRIAÇÃO
2022
DURAÇÃO
40 min
CLASSIFICAÇÃO
INDICATIVA
LIVRE

A força da mulher no brinquedo popular

A Região do Cariri é um celeiro cultural, onde os brinquedos populares protagonizam a cena.Mas essa cena, até muito pouco tempo atrás, era absolutamente habitada e  dirigida por homens, onde o papel da mulher era, ou impedida de brincar ou em lugares sem destaque.

Faz poucos anos essa imagem vem mudando. Um grupo de mulheres assume a maestria do Brinquedo Popular e se coloca no maior pódium: o de  Mestra.

As Guerreiras de Santa Madalena é um exemplo vivo disso. Tendo como Mestra a Sra. Iara, vem abrindo trilhas e conquistando seu lugar de destaque na cena.Essa performance Guerreiras de Santa Madalena - a força da mulher no brinquedo popular vem fazendo zoom nessa luta diária da mulher, que quer ocupar os lugares que quiser.....

E seguimos lutando, pois sabemos que mesmo em meio a misoginia caririense, herdada ainda da época dos Senhores de Engenho, nós vamos chegar onde queremos chegar!

E viva a força das mulheres de João Cabral. Viva a força da mulher caririense.

Direção, coreografia e argumento: Valéria Pinheiro Trilha Original: Luana Florentino Direção de Fotografia: Marcelo Paes de Carvalho Elenco: Alexandra Pinheiro de Souza, Ana Jislania Sabino Gonçalves, Bruna Vitória, Flávia Gaudêncio, Maria Andreza Barbosa de Araújo, Maria Eduarda Cândido, Maria Evelly Mariano de Oliveira, Maria Fabrisleny Gonçalves Evangelista(Mestra), Raylane da Silva

Valéria Pinheiro é coreógrafa, performer, atriz, brincante e gestora cultural. Em 1994 fundou a Cia de Brincantes Valéria Pinheiro no Rio de Janeiro e em 2000 fundou sua própria empresa, a Cia Vatá, com órgãos e pesquisas genuinamente cearenses. Com 25 peças coreográficas em seu repertório, atuou em diversas colaborações : NY e Chicago nos EUA (Tap Extravaganza, Global Rhythm – 1999, 2000, 2003, 2005 e 2006), Debressen na Hungria - International Flower Festival – 2009, Canadá com DJD (Decidedly Jazz Dance Work – 2015), Japão com Kaitasha 2007, Africa (Cabo Verde 2009 e 2012) e Marrocos 2017.  Conquistou diversos prêmios nas instâncias municipal, estadual e federal brasileira. Atua no cenário artístico brasileiro nas áreas de dança, espaço cênico, teatro, música e performance desde 1983.

VOLTAR